Últimos Posts

quinta-feira, 22 de junho de 2017

22/06 - Mt 6,7-15

22 de Junho de 2017


evandia

Mateus 6,7-15

“Quando orardes, não useis de muitas palavras, como fazem os pagãos. (...) Vós, portanto, orai assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, como no céu, assim também na terra. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos que nos devem. E não nos introduzas em tentação, mas livra-nos do Maligno. De fato, se vós perdoardes aos outros as suas faltas, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará (...).”


            Entendendo


A ORAÇÃO DO PAI-NOSSO E SEU CONTEÚDO

Antes de ensinar aos discípulos a maneira certa de conversar com Deus, na mais profunda intimidade entre filhos e Pai, Jesus os chama à atenção para uma maneira errada que existia na época – a de fazer longas orações para “convencer a Deus” pela quantidade e não pela qualidade da oração.

A oração do Pai-nosso mostra a intimidade e simplicidade que deve existir entre nós como filhos e Deus como Pai. Revela um Pai compreensivo, amoroso, disposto a ouvir e atender as nossas necessidades.

Na primeira parte, o pedido é que Deus manifeste o seu plano de salvação: “Venha a nós o vosso reino...” A segunda, traz a necessidade de cada pessoa viver o projeto de Deus que Jesus apresentou: pão para o sustento, bom relacionamento entre os irmãos, dando destaque para o perdão nas relações e, por fim, a perseverança até o fim.

A oração que Jesus colocou nos lábios dos discípulos está baseada na absoluta confiança no Pai, de quem se espera tudo, por saber ser Ele a fonte de todos os bens.





Atualizando


‘PAI’ FOI A PALAVRA MAIS USADA POR JESUS

O Pai sabe do que precisamos antes que lhe peçamos. É um Pai que nos escuta às escondidas, no segredo, como Ele, Jesus, nos aconselha a rezar: no segredo.

Este Pai nos dá a identidade de filhos. Eu digo ‘Pai’, mas chego às raízes da minha identidade: a minha identidade cristã é ser filho e esta é uma graça do Espírito. Ninguém pode dizer ‘Pai’ sem a graça do Espírito.

‘Pai’ é a palavra que Jesus usava quando era cheio de alegria, de emoção: “Pai, te louvo porque revelas estas coisas as crianças”; ou chorando, diante do túmulo de seu amigo Lázaro. “Pai, te agradeço porque me ouvistes”; ou ainda, nos momentos finais de sua vida, no fim”.

Nos momentos mais fortes Jesus diz: ‘Pai’. É a palavra que ele mais usa; Ele fala com o Pai. É o caminho da oração e por isso – reiterou – eu me permito dizer, é o espaço de oração. Sem sentir que somos filhos, sem dizer ‘Pai’ nossa oração é pagã, é uma oração apenas de palavras.

Papa Francisco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por E-mail