Últimos Posts

terça-feira, 20 de junho de 2017

15/06 - Jo 6,51-58

15 de Junho de 2017


evandia

João 6,51-58

“Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem come deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne, entregue pela vida do mundo”. Os judeus discutiam entre si: “Como é que ele pode dar a sua carne a comer?” Jesus disse: “Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Pois minha carne é verdadeira comida e meu sangue é verdadeira bebida. Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu nele. Como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo por meio do Pai, assim aquele que de mim se alimenta viverá por meio de mim. Este é o pão que desceu do céu. Não é como aquele que os vossos pais comeram – e no entanto morreram. Quem se alimenta com este pão viverá para sempre”.




            Entendendo


“MINHA CARNE É VERDADEIRA
COMIDA E MEU SANGUE VERDADEIRA BEBIDA!”

Quando uma pessoa não aprofunda a fé, fica na superficialidade da matéria, não consegue sair do humano. Jesus falava em dar a sua carne em alimento para a vida do mundo, e seus adversários imaginavam uma cena macabra da devoração de um ser humano. Jesus referia-se à relação a ser estabelecida entre Ele e a comunidade dos discípulos, por meio do pão e do vinho transformados para alimento espiritual daquele que crê.

Pão e vinho seriam constituídos como sacramento da presença de Jesus. É o que hoje os católicos recebem na Eucaristia. Ao redor de uma mesa é que a comunidade de fé faz a experiência de comunhão profunda com o Ressuscitado. Ao comer o pão e beber o vinho, estabelece-se um novo vínculo com Deus, com a comunidade e com o semelhante.

Os discípulos e os primeiros cristãos assimilaram o corpo de Jesus, e se deixaram transformar por Ele. E resultava numa vida de experiência verdadeira por Cristo, com Cristo e em Cristo, de modo a garantir a vida eterna. Esta é uma bela herança que nós, cristãos de hoje, herdamos.




Atualizando


ENTENDA A AFIRMAÇÃO DE JESUS:
“COMER A MINHA CARNE E BEBER O MEU SANGUE”

Em nossa cultura, a frase pronunciada por Jesus soa mal aos nossos ouvidos, e fazem-nos lembrar de canibalismo. Num passado, não muito distante, em algumas tribos indígenas brasileiras os “Guerreiros Valentes”, que tinham fama de heróis e morriam nas batalhas, tinham seu corpo levado até a tribo e os mais jovens comiam a sua carne para se apossarem do seu espírito de herói.

Aqui, falamos de outra realidade, não de “carne humana” que se estraga, mas da “carne divina” – a Eucaristia – as substâncias materiais de pão e vinho são transubstanciadas (transformadas) por Jesus em seu Corpo e Sangue para ser nosso alimento. É um sinal da presença Dele que nos eterniza.

É um ritual para que a nossa razão compreenda o que a fé realiza em nós. Com o Corpo Dele somos transformados Nele, através de palavras, ensinamentos e obras. É uma tradição sagrada que têm continuidade há mais de dois mil anos de história.

Na Eucaristia Jesus se faz presença real e concreta em milhões e milhões de homens e mulheres todos os dias, em igrejas, capelas e recantos distantes... Em doentes e idosos que são visitados em hospitais, casas de saúde e residências, por ministros que conduzem a Hóstia Consagrada (Eucaristia), no mundo inteiro. Felizes aqueles que O conduzem e aqueles que Nele acreditam!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por E-mail