Últimos Posts

terça-feira, 20 de junho de 2017

19/06 - Dia do Migrante e do Cinema Brasileiro

19 de Junho de 2017

Dia do Migrante e do Cinema Brasileiro


Migrante


clip_image001

A migração humana é consequência de muitos problemas - econômicos, políticos, religiosos, raciais, dentre outros. Há vários tipos de migração:

·         Emigração: saída de grupo de pessoas de um país;
·         Imigração: entrada de grupo de pessoas em um país;
·         Nomadismo: deslocamento constante de povos que não possuem residência fixa;
·         Transumância: permanência temporária de um grupo de pessoas em determinadas regiões, com retorno ao local de origem;
·         Inter-regional: movimento de pessoas dentro do mesmo país, para áreas de atração. Destacam-se:

a) Êxodo rural: movimento de pessoas que deixam o campo para viver na cidade, em função da mecanização da lavoura e das relações de trabalho no meio rural;

b) Pendular: movimento de pessoas que trabalham nos grandes centros, mas residem em cidades periféricas e retornam ao lar, diariamente, no final da jornada.

No Brasil, as maiores correntes migratórias são originárias das regiões Norte e Nordeste, em razão da desigualdade social existente nessas regiões não só em consequência do clima seco e do solo pouco produtivo dos sertões, como também da má distribuição de terras e de renda entre a população.

As regiões Sul e Sudeste do Brasil, bem desenvolvidas industrialmente, são cada vez mais visadas pelos migrantes, atraídos pela perspectiva de trabalho. São Paulo é a cidade do Brasil que mais acolhe migrantes.

Estima-se que, em 2050, a população mundial seja de 9,3 bilhões de pessoas; a distribuição geográfica, porém, será extremamente desigual, o que acarretará muitos casos de migração.

É o preconceito que estabelece classes e proeminências. Faz-se necessária a promoção de uma igualdade entre todos sem importar: origem, nacionalidade, língua, cor ou religião.

O migrante necessita de uma política governamental que estabeleça leis que protejam seus direitos como cidadão, para que ele possa cumprir seus deveres e ter uma vida digna.




Cinema Brasileiro


No dia 8 de julho de 1896, sete meses após os irmãos Lumière inaugurarem a sétima arte em Paris, o Rio de Janeiro exibiu a primeira sessão de cinema no Brasil. No ano seguinte, em 1897, Paschoal Segreto e José Roberto Cunha Salles abriram a primeira sala de cinema, também no Rio de Janeiro, na Rua do Ouvidor. 
A sala chamava-se “Salão Novidades de Paris”, e exibiu o primeiro filme brasileiro em 1898.

O filme, rodado por Afonso Segreto, mostrava um documentário com imagens da Baía de Guanabara. Aliás, as primeiras produções brasileiras foram os documentários. Depois de 1912, começava uma incipiente produção nacional com “Os Três Irmãos” e “Na Primavera da Vida”, do cineasta Humberto Mauro. Mas foi somente em 1929, que foi lançado o primeiro filme brasileiro totalmente sonorizado. O filme se chamava “Limite” e foi filmado por Mário Peixoto. 

Em 1930, o primeiro estúdio de cinema do Brasil foi instalado no Rio de Janeiro, por Adhemar Gonzaga. Chamado Cinédia, o estúdio produzia comédias musicais e dramas populares.

Em 1941, surgiu a Atlântida, famosa produtora das chanchadas que marcaram época, revelando cineastas como Carlos Manga. No fim da década de 40, foi a vez do estúdio Vera Cruz, que começou a produzir filmes no estilo de Hollywood. Em 1952, o filme “O Cangaceiro”, rodado por Lima Barreto, conseguiu entrar no circuito internacional e foi premiado no Festival de Cannes em 1953.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por E-mail