Últimos Posts

sábado, 24 de junho de 2017

24/06 - Lc 1,57-60.80

24 de Junho de 2017


evandia

Lucas 1,57-60.80

Quando se completou o tempo da gravidez, Isabel deu à luz um filho. Os vizinhos e os parentes ouviram quanta misericórdia o Senhor lhe tinha demonstrado, e alegravam-se com ela. No oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. A mãe, porém, disse: “Não. Ele vai se chamar João”. Disseram-lhe: “Ninguém entre os teus parentes é chamado com este nome!” Por meio de sinais, então, perguntaram ao pai como ele queria que o menino se chamasse. Zacarias pediu uma tabuinha e escreveu: “João é o seu nome!” E todos ficaram admirados. No mesmo instante, sua boca se abriu, a língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. Todos os vizinhos se encheram de temor, e a notícia se espalhou por toda a região montanhosa da Judeia. Todos os que ouviram a notícia ficavam pensando: “Que vai ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele. O menino crescia e seu espírito se fortalecia. Ele vivia nos desertos, até o dia em que se apresentou publicamente a Israel.



            Entendendo


OS MISTÉRIOS QUE
ENVOLVEM O NASCIMENTO DE JOÃO!

O nascimento de João Batista é cercado de expectativa, diante da nobre missão de ser o responsável em “preparar o terreno”, para que o enviado de Deus pudesse se manifestar ao mundo.

A gravidez de Isabel ganha ar de mistério, a partir do anúncio do Anjo a Zacarias, pois ele e sua esposa eram de idade avançada. Além disso, Isabel era estéril. A falta de fé de Zacarias foi punida com a privação da fala até que a Palavra de Deus se cumprisse. Os próprios vizinhos e parentes reconheceram que Deus havia presenteado aquela família. 

O nome dado ao menino foi outro fato extraordinário. Muitos queriam que se chamasse Zacarias, o mesmo nome do pai. Isabel recusou, seguindo a recomendação do Anjo. Quando Zacarias confirmou o nome dado por Isabel, sua língua se soltou e ele começou a falar normalmente. João significa “Deus é favorável”.



Atualizando


OS MISTÉRIOS DE DEUS
Primeiro “crer” para depois “entender”

Existem dois caminhos: crer para depois compreender ou compreender e depois crer; é uma bifurcação. São caminhos inconciliáveis, bem distintos e com uma diferença notável de ter fé e depois experimentá-la. Tomé teve que primeiro fazer uma experiência com Cristo para que comprovasse a sua fé.

Nós também sempre queremos compreender primeiro para depois crer. Para entendermos mais sobre a ressurreição é preciso estudar a Palavra, pois a fazer isso, purificamos nossa fé porque entendemos o que acontece.

A ressurreição é um mistério e compreendê-la para depois crer é complicado, porque corremos o risco de não dar o passo de acreditar que Jesus venceu a morte. Esse é o passo mais importante; nunca ninguém vai conseguir compreender a ressurreição por completo. Ninguém vai entendê-la porque é uma obra de Deus, é um mistério. Não é obra dos homens, ela nos supera, pois é um Deus Todo-poderoso. Se nós temos dificuldade de entender nossas coisas, imaginem entender os mistérios de Deus. Entender primeiro para depois crer? Complicado. Experimente primeiro e se entregue a Deus pela fé e experimente esse Deus maravilhoso. Aposte sua vida em Deus.

Infelizmente, temos que esperar e isso é muito difícil porque somos ativos e, às vezes, corremos o risco de cair em tentação e ditar as regras para Deus. Quando estamos procurando entender algo somos nós que ditamos as regras do jogo, mas quando fazemos uma experiência de verdade, as coisas mudam de figura e descobrimos que Cristo está ressuscitado.

A Palavra de Deus foi feita para ser experimentada. No entanto, muitas pessoas não estão dispostas a dobrar-se diante da verdade. O caminho mais seguro e certo é crer para depois compreender; é o caminho mais vantajoso. Crer o que não é possível compreender, pois é um mistério.

Jesus disse a Tomé: ”Introduz aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos. Põe a tua mão no meu lado. Não sejas incrédulo, mas homem de fé”. Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” Concluiu Jesus: “Creste, porque me viste. Felizes aqueles que crêem sem ter visto! (Jo 20, 27-29). Esse é o caminho mais seguro: crer sem compreender, pois os mistérios de Deus são inesgotáveis.
(Baseado no artigo “Os mistérios de Deus

são inesgotáveis” de Eliziane Alves e Márcio Mendes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por E-mail